1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Olhar Estadão Ensaio - Fotografia Analógica

Galeria Fotos
Tiago Queiroz/Estadão 29/08/14
Feitiço do tempo
A paixão pela fotografia analógica ainda resiste e ganha cada vez mais adeptos. Na foto, parte do equipamento disponível na loja Optimar, comandada pela dona Ieda Matzner
Tiago Queiroz/Estadão 29/08/14
Feitiço do tempo
A história do casal Ieda e Frederico Matzner cresceu junto com a Optimar – loja que ele fundou sete anos antes de conhecê-la, e que se tornou referência no conserto de câmeras fotográficas. Há cinco meses, Frederico morreu – mas Dona Ieda continua à frente do negócio. Hoje, o local não só conserta mas também vende máquinas antigas, como Rolleiflex, Leica e Zeiss. E a própria dona Ieda restaura estojos de couro e outros acessórios para guardar os equipamentos
Tiago Queiroz/Estadão 29/08/14
Feitiço do tempo
Rosângela Andrade era adolescente quando conseguiu emprego em um laboratório de foto. Nunca mais parou de revelar filmes. Nem mesmo quando Cristiano Mascaro, famoso fotógrafo e seu amigo, lhe disse que seria inevitável a migração para o digital. Em março, ela abriu o Clube do Analógico. Toda 4ª, o local promove o curso ‘Memória de Outros Tempos’, voltado à terceira idade. O espaço também tem dois laboratórios de fotos PB: um aceita encomenda para revelações; o outro é usado pelos sócios do clube
Tiago Queiroz/Estadão 29/08/14
Feitiço do tempo
Na Galeria FASS, que reúne importante acervo de fotografias de época, as obras chegam a custar R$ 50 mil. Mas você não precisa comprá-las para ir ao espaço fundado por Pablo Di Giulio – o local, pequeno e charmoso, tem exposições gratuitas. Fotógrafo de moda por 20 anos, Pablo acreditava que o visor na parte de cima da Roleiflex era perfeito para retratos, pois não intimidava tanto as modelos. E apostou na marca (tem seis câmeras) até mesmo em desfiles em que só haviam cliques digitais
Tiago Queiroz/Estadão 29/08/14
Feitiço do tempo
O gosto por câmeras antigas não exclui a troca de experiências por meios digitais como a internet. Pelo contrário. O site Queimando Filme (http://www.queimandofilme.com/), fundado pelo gerente de marketing André Corrêa, recebe 2.500 visitas ao dia. Na página, é possível encontrar informações sobre tipos de filmes, câmeras e lentes; e também locais para comprar, consertar e revelar. Há ainda posts bem didáticos que falam sobre técnicas para se fotografar