1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Greve dos garis no Rio

Galeria Fotos
Fábio Motta/Estadão 05/03/14
Garis cruzam os braços durante o carnaval
A greve dos garis da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), da Prefeitura do Rio de Janeiro, entrou nesta quarta-feira de Cinzas, 5, em seu quinto dia. Com isso, as montanhas de lixo acumulado, que inicialmente eram vistas principalmente no Centro, já se espalharam para as zonas sul, oeste e norte.
Fábio Motta/Estadão 05/03/14
Garis cruzam os braços durante o carnaval
A greve dos profissionais de limpeza virou caso de polícia esta manhã em Campo Grande, na zona oeste. Um grupo que estava trabalhando foi à 35ª Delegacia de Polícia (Campo Grande) para denunciar que estava sendo ameaçado por grevistas. Um gerente da Comlurb foi agredido.
Fábio Motta/Estadão 05/03/14
Garis cruzam os braços durante o carnaval
Em nota divulgada nesta quarta-feira, a Comlurb informou que o desembargador José da Fonseca Martins Junior, do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, determinou "que um oficial de justiça faça diligências nas gerências de operação da Comlurb para garantir o acesso e a segurança dos trabalhadores que desejam retornar ao trabalho e, se preciso for, acompanhado de força policial. A decisão da justiça baseia-se nos casos de agressões relatados por profissionais".
Fábio Motta/Estadão 05/03/14
Garis cruzam os braços durante o carnaval
O mandado judicial também dobra a multa diária de R$ 25 mil para R$ 50 mil que o Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro terá que pagar em caso de não retorno ao trabalho. Na manhã de sábado, 1º, horas após o início da greve, a desembargadora plantonista Rosana Salim Villela Travesedo já havia determinado a suspensão da paralisação e determinado o retorno imediato dos empregados aos postos de trabalho.
Fábio Motta/Estadão 05/03/14
Garis cruzam os braços durante o carnaval
Hoje pela manhã, um grupo de garis fazia a limpeza da pista lateral sentido Centro da Avenida Presidente Vargas, no trecho entre a Rua Uruguaiana e a Avenida Rio Branco. O local estava sem limpeza desde sábado. No entanto, outros locais do Centro, como o Largo da Carioca e a Lapa, permanecem imundos.
Fábio Motta/Estadão 05/03/14
Garis cruzam os braços durante o carnaval
Pelo acordo coletivo anunciado na segunda-feira, os garis terão 9% de aumento salarial (o piso passará para R$ 874,79), mais 40% de adicional de insalubridade. Segundo a Comlurb, com isso, o vencimento inicial passará a ser de R$ 1.224,70. Além do aumento salarial, o acordo garantiu mais 1,68% dentro do Plano de Cargos, Carreiras e Salários, com progressão horizontal.
Marcos de Paula/Estadão 06/03/14
Profissionais de limpeza têm escolta armada para limpar ruas nesta quinta-feira, 6
Nesta quinta-feira, 6, garis que não aderiram à greve deflagrada no último sábado, 1º, tiveram escolta armada no Rio de Janeiro para fazer a limpeza das ruas. Por volta das 10h, uma viatura do Batalhão de Choque, com quatro PMs fortemente armados, fazia a segurança de 20 garis que retiravam as montanhas de lixo acumuladas na Avenida Presidente Vargas, nas proximidades do Sambódromo, no centro.
Marcos de Paula/Estadão 06/03/14
Profissionais de limpeza têm escolta armada para limpar ruas nesta quinta-feira, 6
Equipes da Tropa de Choque da Polícia Militar, de guardas municipais e de uma empresa privada realizam a segurança desde a madrugada desta quinta-feira, 6. Para otimizar a limpeza, os garis utilizavam uma retroescavadeira e um caminhão basculante. Uma das quatro faixas da pista central da Presidente Vargas, sentido zona norte, está interditada por agentes da CET-Rio para a realização da limpeza e o trânsito está congestionado no local.
Marcos de Paula/Estadão 06/03/14
Profissionais de limpeza têm escolta armada para limpar ruas nesta quinta-feira, 6
Em outro ponto do centro da cidade, na Rua Frei Caneca, guardas municipais faziam a segurança de garis que limpavam a via, também nas proximidades do Sambódromo. Os guardas municipais, no entanto, andam desarmados.
Marcos de Paula/Estadão 06/03/14
Profissionais de limpeza têm escolta armada para limpar ruas nesta quinta-feira, 6
Por volta das 8h30, outra equipe de garis estava sendo escoltada por dois seguranças de uma empresa privada, também armados, em várias ruas do bairro boêmio da Lapa, que recebeu uma grande quantidade de blocos no carnaval.
Marcos de Paula/Estadão 07/03/14
"Não somos lixo", dizem garis em protesto nesta sexta-feira, 7
Cerca de 500 garis da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) realizam na manhã desta sexta-feira, 7, um protesto em frente à sede da prefeitura do Rio. Ao contrário das outras manifestações, desta vez, a maioria dos garis está vestindo o uniforme laranja da empresa. Eles exigem ser recebidos por algum representante da Prefeitura para discutir a pauta de reivindicações da categoria, que inclui, entre outros pontos, salário base de R$ 1.200, e 40% de adicional de insalubridade.
Marcos de Paula/Estadão 07/03/14
"Não somos lixo", dizem garis em protesto nesta sexta-feira, 7
A prefeitura oferece aumento de 9%, para R$ 874,59, mais o adicional de insalubridade. Dezenas de policiais militares do Batalhão de Choque fazem um cordão de isolamento em frente ao prédio da prefeitura. O protesto, que começou às 10h, transcorre pacificamente. Os manifestantes carregam faixas com os dizeres "Estamos sendo tratados como lixo", "Chega de covardia, não somos palhaços" e "Não somos lixo".
Marcos de Paula/Estadão 07/03/14
"Não somos lixo", dizem garis em protesto nesta sexta-feira, 7
Os manifestantes distribuem uma carta aberta à população do Rio que diz que a culpa da greve é do prefeito Eduardo Paes (PMDB), do presidente da Comlurb, Vinícius Roriz, e do Sindicato. "São eles que devem ser cobrados por toda essa situação. Nós só queremos dignidade em nosso trabalho. Essa é nossa única motivação".