1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Aposentadoria de Joaquim Barbosa

Galeria Fotos
Em 2012, o ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão, foi eleito presidente do Supremo Tribunal Federal. Primeiro negro a presidir a Corte, ficou conhecido por sua postura rígida e frases polêmicas. "Só não aplica a lei juiz comprometido, medroso ou engajado" - Em evento realizado em setembro, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, criticou a influência política que há sobre os juízes brasileiros. Barbosa pediu que o próximo presidente da República busque simplicidade no sistema jurídico do País. "Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre" - A frase foi dita em março deste ano para Felipe Recondo, repórter do Estadão, que, ao lado de outros jornalistas, aguardava a saída do presidente do STF de uma sessão do Conselho Nacional de Justiça, também presidido por Barbosa. "Eu acredito que a nação não aguenta mais este julgamento. Está na hora de acabar, está na hora. Como diriam os ingleses, let"s move on (vamos em frente)" - Em dezembro de 2012, Barbosa cobrou mais rapidez no julgamento da Ação Penal 470, que havia começado três meses antes e até então havia se arrastado por 51 sessões plenárias da Corte. "Justiça que tarda não é Justiça" - O comentário foi feito pelo presidente do STF no dia 21 de agosto, quando repercutiu a discussão da sessão anterior, em que houve um bate-boca entre ele e o ministro Ricardo Lewandowski. Os dois discutiram sobre a lei usada para a pena aplicada a Bispo Rodrigues, um dos réus do mensalão. Barbosa cobrava dos ministros mais celeridade com o julgamento. "Eu tenho um temperamento que não se adapta bem à política. Isso porque eu falo o que eu penso", disse Barbosa. "Não sou candidato a nada" - Em perfil publicado no The New York Times, em 24 de agosto, o presidente do STF descartou a possibilidade de migrar para a política. "Lamento muito que estejamos diante desse impasse constitucional absurdo" - Barbosa queixou-se após a Câmara dos Deputados rejeitar a proposta de cassação do mandato do deputado Natan Donadon, condenado a mais de 13 anos de prisão depois de ser acusado de desviar mais de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia. "Nós queremos fazer nosso trabalho, e não chicana" - Em um bate-boca entre Barbosa e Lewandoski, no dia 15 de agosto, o presidente da Suprema Corte acusou o ministro de tentar adiar o julgamento do mensalão. "Comprei com o meu dinheiro, tirei da minha conta bancária, enviei pelos meios legais. Não tenho contas a prestar a esses politiqueiros" - Em agosto de 2013, Joaquim Barbosa falou que não devia explicações a ninguém sobre a compra de um imóvel em Miami. "Sou um homem correto", afirmou. "Mas a maioria dos advogados não acorda lá pelas 11 horas da manhã mesmo?" - Barbosa, quando ironizou em 2013 a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo de atender os advogados somente a partir das 11h. "Há muitos (juízes) para colocar para fora. Esse conluio entre juízes e advogados é o que há de mais pernicioso. Nós sabemos que há decisões graciosas, condescendentes, absolutamente fora das regras" - Joaquim Barbosa afirmou, em março de 2013, que muitos juízes deveriam perder seus cargos. O comentário foi feito durante julgamento que determinou a aposentadoria compulsória de um juiz do Piauí, que foi acusado de beneficiar advogados. "A mentalidade dos juízes brasileiros é mais conservadora, pró status quo, pró impunidade" - A declaração de Barbosa foi dada a correspondentes estrangeiros em março de 2013. Ele também falou que a mentalidade dos membros do Ministério Público é "contra status quo". "A debilidade mais grave do Congresso brasileiro é que ele é inteiramente dominado pelo Poder Executivo" - Declaração foi dada em maio de 2013, em Brasília, durante palestra para universitários. André Vargas (PT-PR), vice-presidente da Câmara, criticou o ministro e falou que ele não estava à altura de presidir a Suprema Corte. "Nosso sistema penal é muito frouxo. É um sistema totalmente pró-réu, pró-criminalidade" - Em março de 2013, o presidente do STF afirmou que as penas dos condenados no julgamento do mensalão deveriam começar a ser cumpridas até julho daquele ano. Na ocasião, afirmou que os condenados passariam menos de dois anos na prisão. "Tive a felicidade, a satisfação e alegria de passar a compor essa Corte no que talvez seja seu momento mais fecundo de maior importância no cenário político institucional do nosso País", afirmou Barbosa na abertura da sessão do Supremo nesta quinta Barbosa também se disse "deveras honrado" por ter feito parte do colegiado do STF. Presidente do Supremo foi ao Congresso onde anunciou sua aposentadoria Barbosa falou sobre sua saída da principal corte do País em reunião com o presidente do Senado, Renan Calheiros Barbosa, durante sessão no STF na qual anunciou sua aposentadoria
< >
< >