1. Usuário
Assine o Estadão
assine

HQs famosas

Galeria Fotos
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Nesta quinta-feira, 30, completa-se 145 anos da publicação da primeira história em quadrinhos brasileira. Em 1869, foi publicada As aventuras de Nhô Quim (acima) na revista Vida Fluminense, com desenhos de Angelo Agostini. A data foi instituída como Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos pela Associação de Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo. A seguir, relembre algumas das publicações de mais sucesso no Brasil.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
A revista Tico-Tico, que surgiu em 1905 lançada pelo jornalista Luís Bartolomeu de Souza e Silva, foi a primeira a publicar exclusivamente histórias em quadrinhos no Brasil, e revelou artistas como J. Carlos. O protagonista era o personagem Chiquinho, inspirado em Buster Brown, de Richard Felton Outcault.
Rafael Arbex/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
A HQ O Lobinho, lançada por Adolfo Aizen, é uma das mais antigas do País, lançada em 1939. Recentemente, o maior colecionador de HQs do Brasil, Antonio José da Silva, teve o seu conjunto com 200 primeiros exemplares de revistas como O Lobinho e O Gibi roubados. O lote teria valor estimado em R$ 300 mil - caso existissem no mercado, o que não é o caso.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Publicada por Ziraldo, a revista Pererê circulou entre 1960 e 1965, pela editora O Cruzeiro.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Os quadrinhos da Turma da Luluzinha começaram a circular nos anos 1970 no País, em versão da americana ‘Little Lulu’.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Os quadrinhos do Asterix, criados na França por Albert Uderzo e René Goscinny, fizeram sucesso em todo o mundo - e não foi diferente no Brasil. A série gerou, além de 34 revistas, adaptações para cinema, jogos e brinquedos.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Os mangás fazem sucesso no País. A técnica de quadrinhos, em estilo japonês, têm estilo diferente das tradicionais ocidentais, e também viraram animes e desenhos, como a famosa série Dragon Ball Z (foto).
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Parte das leituras de infância de muitos brasileiros, o Sítio do Picapau amarelo teve adaptações para quadrinhos a partir dos livros de Monteiro Lobato. A franquia também virou desenho, filme e programa de televisão.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
O Menino Maluquinho, também adaptado em desenhos, filme e jogos, era originalmente uma história em quadrinhos criada por Ziraldo em 1980. Na foto, uma versão especial da HQ com participação de Calvin e Haroldo.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Versão brasileira do Uncle Scrooge, da Disney, o Tio Patinhas é uma invenção do cartunista Carl Banks. Com fama de pão duro e sovina, o personagem chegou às bancas brasileiras na década de 1950.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Os quadrinhos da Marvel (hoje pertencente à Disney) conquistaram muitos jovens com histórias de super-heróis como o Homem-Aranha, X-Men, Capitão América e o Quarteto Fantástico - franquias que são umas das mais bem sucedidas dos quadrinhos.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
Concorrente da Marvel, a DC Comics (da Time Warner) também tem o seu elenco de personagens famosos, como Flash, Batman e Superman.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
O Zé Carioca, um dos personagens mais curiosos da Disney, foi criado nos anos 1930 nos Estados Unidos (onde é conhecido como Joe Carioca) como parte de uma iniciativa para aproximar produtos da América Latina. O papagaio reproduzia algumas das principais características tidas como ‘cariocas’: a malandragem e o gosto por samba.
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
A Turma da Mônica, talvez o mais conhecido dos quadrinhos brasileiros, é uma série de Maurício de Souza publicada até hoje no País (em versões para adolescentes, como a Turma da Mônica Jovem), e foi traduzida em diversas línguas. O quadrinho, criado em 1959, acompanhou várias gerações e fez parte da alfabetização de muitas crianças (que, muitas vezes, continuaram a acompanhar as aventuras de Cebolinha, Mônica, Cascão e Magali).
Reprodução/Estadão 30/01/14
Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos: relembre histórias que marcaram gerações
O Chico Bento, também criado por Maurício de Souza, é o líder da Turma do Chico Bento, que retrata a zona rural do País (inspirado em personagens do Vale da Paraíba). Rosinha, Zé Lelé, Anjo Gabriel e Zeca (seu primo da cidade) são alguns dos personagens do quadrinho.
Mais Galerias